19 janeiro 2006

O inferno e a misericórdia não cabem no mesmo pote! Não no meu.

De todos os mistérios que contemplam nosso mundo, desde sempre a morte é o maior deles.
Nossa origem, o motivo da nossa existencia, e para onde vamos é a eterna questão que assola filósofos, cientistas, teólogos e céticos.

Os ateus creem em um não-Deus e no absoluto nada após a morte, na aniquilação total da consciência.
Por mais que eu tenha uma apreciação pelos ateus, no seu ceticismo, ainda que uma apreciação triste, mas não menos genial, fico tentando imaginar-me ateu.
Aliás, todas as vezes que me pego questionando a não existência de Deus, o medo do inferno que a religão maldosamente plantou em mim cutuca-me.
Questionar a Deus é um pecado, se vc descrer é pq nunca creu - prega a religião.
Mas será que Deus pensa dessa forma mesmo ?
Dificil acreditar.

Não sei como é possivel viver sendo ateu, pois nunca fui, só consigo "tentar imaginar". Desde sempre nunca fui ateu, mesmo antes de ser religioso, nunca fui ateu. Só não tinha ainda um Deus com nome padronizado pela religião.

Vivendo sem esperança, é assim que vejo os descrentes. Após a morte..pufff... acabou tudo.
Descanse em paz será apenas: "Deixe de existir em paz! Ou não, afinal que diferança fará ?"

Mas se ser ateu é viver sem esperança, posso afirmar que teístas então tem esperança ?

Ora, esperança de que ? De que Deus nos levará após a morte para um lugar bacana, bonito, gostoso...
São essas as diretrizes religiosas e suas promessas pós-mortem. Essa é a diretriz Bíblica (antes que me apedrejem). Levantar questões como essa são sempre perigosas - dizem os teólogos - Como se escondê-las em vc, significasse que o aborto nunca gerou a criança.

Mas toda essa explicação me parece coisa de "gente humana" que depois de um dia de trabalho quer ir pra casa descansar e se deliciar da comidinha gostosa da esposa.
O trabalho é nossa vida cansativa, e chegar a em casa é a esperança da tranquilidade. Como resultado do bom funcionário, vc consegue ter um bom padrão de vida e chegar em casa sempre com satisfação, após aquele tedioso dia.

Alguma semelhança como a vida espiritaul será mera coincidencia! Ou não.

A vida imita a arte, que imita a vida, que imita a religião que diz imitar a Deus.

Mas tudo me parece tão humano, não sei porque.

O que Deus acha disso tudo? Bom, biblicamente sei o que Ele acha, mas a mesma convicção bíblica que diz evocar a Deus, em mim discursa de modo diferente. Não consigo ser ateu, pq creio em Deus e no seu amor, mas creio no Deus da misericórdia que não "tá nem ai" pros padrões. Onde o ateu, tem seu lugar ao sol, qdo ele se recusa a crer num Deus tipográfico, palpável, tangível e que ofende a sua inteligencia e que acha isso tudo uma grande besteira, afinal , pensa o ateu, se é pra crer em Deus eu quero um Deus de verdade, não um ser pintado e carregado de poderes que nos põe medo como num filme de terror. Se as opções que eu tenho são essas, prefiro ser ateu - talvez diga ele.

Mas não sei, não sou ateu e o melhor que posso dizer é que essa idéia é apenas expressão de uma vontade minha. Afinal posso discordar dos metodos de Deus não posso ?
Pois se eu, que fui feito a sua imagem e semelhança tenho essa misericórdia toda, pq sou obrigado a pensar que Deus não tem ?

Porque sou obrigado a pensar que o inferno existe. Não consigo gostar nem da pena de morte para Reús confessos de crimes bizarros, qto mais imaginar um Deus "rico" em misericórdia torturando eternamente as pessoas pelo prazer de ouvi-las gritando: "- Senhor, me dá mais uma chance... eu nao sabia que tinha que ser assim.. me tira daqui.. doi muito isso.
Sofrimento eterno ? Desculpem-me, não dá mesmo. É sadismo demais. Nem nós humanos feitura da imagem Dele somos assim, como posso crer que Ele (Deus) será assim ? Só se eu estiver louco ou alguma coisa de errada aconteceu na fôrma qdo eu fui criado.
Pior que ir a esse inferno padronizado pela religião, calcada no medo, é ficar se enganando de falsos sentimentos e lutando contra aquilo que nunca será pleno em vc, pois somos o que somos.

Na religião que tanto evoca a soberania de Deus, Ele (Deus) tornou-se um ser melindroso, de cristal que se ofende facilmente, não o todo poderoso que antes de qualquer coisa conhece o seu coração, inerente e isolado das opniões humanas.
Só conhecemos Deus atraves de sentimentos humanos, qdo é pra mandar torrar no inferno, Deus é igualzinho um ser humano, cheio de rancor, mas qdo é pra salvar é sobrenatural.
Lógico que qdo sua justiça manifestasse como salvação, só podemos dizer que é sobrenatural, afinal só conhecemos o mal, dessa forma fica dificil entender como pode Ele nos salvar. Mas qdo é pra torrar, a gente saca logo uma explicação.

continua um dia...

fino

1 Comments:

Anonymous Roberta said...

Nossa, li seu texto e vc me deixou confusa. To quase concordando que o inferno não existe.
Pára com isso minino.

2:48 AM  

Postar um comentário

<< Home