01 agosto 2006

O maior pecado, é ser tolo.

Em Jambeiro.....
Meu tios, meus primos cresceram católicos, sempre muito compromissados com a santa igreja na cidade de Jambeiro, um afastada cidadezinha do interior e de poucos habitantes. Uma vez por ano a bela cidadezinha fica lotada de pessoas que vem de diversos lugares em decorrência da festa do pião tropeiro organizada pela tradicional paróquia. A pacata cidade fica linda, a festença a cada ano é sempre maravilhosa. Um dia único de muita alegria a todos.

Nessa cidade há uma igreja presbiteriana que sempre, desde sempre não ultrapassa seus 30 ou 40 membros. Lá também diferentemente da presbiteriana igreja, o movimento pentecostal cresceu muito com a chegada da assembléia de Deus. Com esse crescimento se arraigando pela cidade afora, quase todos os meus tios outrora católicos, tornaram-se alguma coisa que não fosse católico, uns tornaram-se pentecostais outros catequizados ainda pelo ultra pentecostalismo mas ninguém tornou-se presbiteriano tradicional (graças a Deus tbem). Mas minha vó resistiu e até os dias de hoje é católica graças a Deus.

Num determinado ano, fomos a casa da minha vó, era o dia da festa do pião tropeiro. A festa tinha inicio com uma bela e esplendorosa missa na imensa escadaria da igreja, de modo que todos da cidade pudessem acompanhar a missa de qualquer ponto na cidade lotada.
Nessa missa minha vó seria homenagiada, juntamente com outra senhora também de tradição e representação, ante toda cidade, como a senhora mais antiga da cidade, a vó que vende doces feito no forno a lenha até hoje.

Antes de nos dirigirmos a missa, passei a chamar meus tios, primos e todos mais que estivessem na casa para irmos a missa para estarmos juntos nessa homenagem tão siginificativa e bela.

Triste desilusão, todos na casa tinham um desculpa para não ir: "....Tenho que limpar isso.. Fazer aquilo, mexer naquilo outro..... Não vai dar..." era a desculpa de cada um.

Quando cheguei a missa com minha mãe, lá estava minha vó sozinha, pseudo-acompanhanda dos parentes da outra homenageada que faziam seu estilo e presença de demosntração de alegria com camisetas personalizadas. Mas minha vó estava só.

O paganismo católico não permitiu que aqueles que outrora comiam a mesa do padre estivessem ali. Tornaram-se inimgos, ainda que no encontro espontâneo de uma fila de padaria ou banco fossem "amigos", ou mehor dizendo colegas.

Ao fim de tudo, só estavam ali festejando com minha vó, eu e minha mãe. Fomos nós que saimos nas fotos com ela, com os padres, o prefeito e tudo mais. A não ser minha mãe, nenhum outro filho dela estava ali. Não estavam porque era pecado, não estavam porque não podiam se ajoelhar ante "outros" deuses, não estavam pq Maria não era mais a mãe de Deus para eles.

Mas, eu acho que não estavam porque torna-se evangélico, os fez carregar o maior dos pecados, o pecado de ser tolo, mediocre e burro que é o que os evangélicos ensinam de melhor. Os mestres do preconceito travestido de piedade mereciam ser vomitados.

Voltamos da missa com a minha vó sendo cumprimentada e abraçada pelo caminho por muitas pessoas importantes na cidade, mas aqueles dito mais importantes ,seus filhos, não a abraçaram.

Acho que minha vó voltou da missa mais católica que nunca. Eu mais triste como sempre fico ao ver essas coisas estupidas acontecerem. Mas o meu consolo é que nessa triste e veridica história, posso louvar a Deus por ela ser católica, pois nojo eu teria se depois de toda esse ocorrido ela se rendesse a pseudo-verdade-evangélica.
Melhor que ela que ela continue sendo a pseudo-herege galardoada por Deus.

A religião faz isso mesmo, deseduca e apaga até mesmo o sentimento de humanização do coração das pessoas, e faz tudo isso em nome de Deus. Mas será que Deus tem a ver realmente com essa deseducação ?

O maior pecado, é ser tolo.

by
Fábio Fino.

3 Comments:

Anonymous Sarah said...

Ave Maria!

9:14 PM  
Anonymous Alessandro said...

Belo post Fabio, continue assim dando essa demonstração de tolerância e mostrando que para ser protestante não precisa ser intolerante, racista, xenofobo ou coisa assim, basta ter amor no coração e compreender que a verdadeira fé é em Deus e não para fazer apologia de uma denominacao religiosa.

1:21 PM  
Anonymous CaroL said...

Isso sempre me revolta... tenho um colega evangélico que insiste em dizer que seu "Deus" é melhor do que o dos católicos, já ouvi uma menina fútil e que não conhece um décimo da religião católiga me dizer que sou pagã por não frequentar a igreja. Mas a fé está dentro de nós ou dentro de uma igreja em que "nossa fulana tá chique", "nossa fulano traiu a mulher com não sei quem", e enquanto tantos "nossas" o padre está lá na frente dizendo que somos todos filhos de um Deus piedoso e que somos sua imagem... o problema é que os filhos se perderam entre os tempos

11:22 PM  

Postar um comentário

<< Home